Saltério Reformado

15/03/2012

Salmo 104 (Genebra)

Filed under: Salmos Metrificados — Tags:, , , — Lucas G. Freire @ 23:48

[Video]

1 Minh’alma, ó bendize ao SENHOR!
Como_és magnificente, grande DEUS:
Sobrevestido_em majestade_e glória,
2 Coberto_em luz, qual manto luminoso.
Eis que estendes, em cortina,_o céu,
3 Tua morada firmas sobre_o mar
Teu carro_é nuvem. Vento, Tuas asas!
4 Dos anjos fazes vento_e labaredas.

5 Fundaste_a terra pra não vacilar.
6 Abismo_é Tua roupa:_e se cobriu;
Deixaste_as águas sobre as montanhas;
7 À voz de Teu trovão, se retiraram.
8 Subiram montes ao lugar que_é seu,
Vales desceram ao lugar que_é seu.
9 Às águas deste_abismo_insuperável,
Pra que não tornem a cobrir a terra.

10 Fontes, no vale, fazes rebentar
Com águas entre_os montes a correr;
11 Dão de beber aos animais do campo;
Selvagens potros matam sua sede.
12 É nessas águas o melhor lugar
Para pousarem pássaros do céu;
Entre_a ramagem, entoarem canto
Sim: lá desferem o seu belo canto.

13 Montanhas regas do Teu alto céu,
A terra_é farta do trabalho Teu.
14 Fazes crescer pros animais a relva,
Também as plantas pra servir ao homem,
De sorte que da terra tire_o pão;
15 Vinho que_alegra_o nosso coração,
Óleo de_oliva, que dá brilho_ao rosto,
Bom alimento que sustém as forças.

16 Ganham vigor as árvores de DEUS,
Os cedros libaneses que plantou,
17 Nos quais as aves fazem os seus ninhos;
Quanto_à cegonha, mora nos ciprestes.
18 Os altos montes são, também, um lar
Pra cabra da montanha habitar.
Eis que, também, as rochas são refúgio
Dos arganazes, fortes roedores.

19 A lua marca_o tempo regular,
O sol já sabe quando declinar.
20 Dispões, ó Deus, as trevas: vem a noite,
Na qual vagueiam animais da selva.
21 Os leõezinhos rugem pra comer
Buscam, de Deus, sustento pra viver.
22 Em vindo_o sol, ó eis que se recolhem
Pra descansar na toca, protegidos.

23 Até o fim do dia_escurecer,
O homem tem trabalho_e afazer.
24 SENHOR, que variedade_em Tuas obras!
Sim! Que sabedoria_utilizaste!
Cheia_é_a terra: muito prosperar!
25 O mar, imenso: seres a nadar,
25-6 Seres pequenos, grandes e navios;
Leviatã, por Tuas mãos formadas.

27 A criação espera,_ó Deus, de Ti,
Seu alimento_em tempo regular.
28 Abres a mão: fartura, pois, recolhem.
Se_o concederes, haverá fartura.
29 Mas, se_o Teu rosto fores ocultar,
Eles sucumbem, ao se perturbar;
Oh! Se_impedires que, assim, respirem.
Morrem, e voltarão a ser poeira.

30 Envias Teu Espírito_a criar,
Pra face do planeta renovar.
31 A glória do SENHOR pra sempre seja!
Oh Sim! Que Deus SENHOR, em Suas obras,
Possa, na Sua glória, exultar!
32 Foi tão-somente com o Seu olhar
Que fez a terra, dando-lhe tremores.
Toca_os vulcões: fumegam em resposta.

33 Canto_ao SENHOR enquanto eu viver;
Durante_a minha vida,_a Deus louvor.
34 Que meu pensar Lhe seja agradável;
É no SENHOR que eu me_alegro sempre.
35 Suma da terra todo pecador,
Perversos não consigam subsistir.
Ó minha alma, teu SENHOR bendize!
A Deus cantai louvores! Aleluia!

(Métrica: Lucas G. Freire, Mar. 2012)

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: